domingo, 29 de abril de 2012

Biotecnologia


Biotecnologia: conjunto de técnicas biológicas utilizadas para o melhoramento genético de plantas, animais e microorganismos.

Bio = vida

Tecnos = prática

Logos = conhecimento

Biotecnologia da antiguidade = produção de Pães e bebidas fermentadas.

Biotecnologia de hoje = materiais de ultima geração, microbiologia (fermentação de bebidas), biologia molecular (cultura de tecidos), manipulação de microorganismos (genes).

De acordo com a ONU, biotecnologia é “qualquer aplicação tecnológica que use sistemas biológicos, organismo vivos ou derivada destes, para fazer ou modificar produtos ou processos para usos específicos”.

Exemplos:

  • Agricultura
  • Alimentação
  • Industria
  • Medicamentos
  • Meio ambiente
  • Alguns produtos da biotecnologia:
  • Adubos
  • Plantas transgênicas
  • Cerveja
  • Vinho
  • Metais
  • Biogás
  • Vacinas
  • Hormônios
  • Purificação de água
  • Remédios

As possibilidades por meio da internet

  • Teleconferência
  • Ensino a distancia
  • Compras, pesquisas, conversas, consultas bancarias
  • Caixas eletrônicos
  • Internet via celular e tablet
  • Bolsa de valores
  • Controle de espaço aéreo
  • Cirurgia intercontinental.

O comércio mundial e os meios de transporte


O comércio internacional de mercadorias inclui exportação e importação de produtos entre os países.

Não apenas as mercadorias aumentaram nestes últimos anos, mas o fluxo de pessoas pelo mundo cresceu considerávelmente, pelo maior acesso aos meios de transporte, cada vez mais rápido e barato. Isso é uma marca do atual processo de globalização. Meios de transporte eficazes, velozes acabam diminuindo as distâncias entre os países. Não existe mais barreiras geográficas que separam os povos. A tecnologia é o  elemento marcante da atual era.

Com o avanço nos meios de transporte = expansão do comércio internacional.


Exemplos de meios de transporte

Aviões cargueiros;
Navios (petroleiros, graneleiros e porta-contêineres) que transportam milhares de toneladas;
Trem de grande porte. Essas novas tecnologias proporcionou:


  • Redução dos custos de transporte;
  • Redução das tarifas alfandegárias.

Exemplos de produtos: automóveis, matéria-prima, máquinas, equipamentos, eletroeletrônicos e etc.

  • Gêneros agrícolas: café, açúcar, soja, milhos, arroz, carne e etc.
  • Gêneros minerais: ferro, cobre, bauxita, níquel, manganês
  • Gêneros energéticos: petróleo, gás natural, carvão e etc.
Veja abaixo alguns exemplos dos meios de transporte moderno que proporcionou uma maior integração entre os países. Fluxo de mercadorias quanto de pessoas.






















  • Avião cargueiro
  • Avião de passageiros
  • Navio graneleiro
  • Navio petroleiro
  • Navio porta-contêinere 
  • Navio de passageiro (Queen Mary 2)
  • Trem de minério de ferro
  • Trem de passageiro (Vitória Minas) 
  • Trem de passageiro (Trem bala)


Robocop o policial do futuro


Em Detroit, num futuro próximo, para conter a violência nas ruas, será inventado um policial Cyborg, a partir de um policial que quase foi assassinado por uma quadrilha de traficantes, em que criam uma figura poderosa e cibernética. Só que dentro dele há ainda algo de humano que procura vingança.


OBJETIVO
O objetivo de trabalhar o filme Robocop, o Policial do Futuro é facilitar ao aluno a compreensão das novas formas de tecnologias existentes na atualidade, principalmente a partir dos anos 70 quando surgiu a Revolução Tecno-científica que é baseada na informática, cibernética, telecomunicações, robótica, biotecnologia dentre outros elementos preponderantes da atual era global.


Professor: Alberto Pelliccione Filho


FICHA DO FILME
Título original: RoboCop
Diretor: Paul Verhoeven
Elenco: Peter Weller, Nancy Allen, Daniel OŽHerlihy, Ronny Cox, Kurtwood Smith, Miguel Ferrer, Ray Wise
Gênero: Ficção Científica, Policial
Duração: 103 min
Ano: 1987
Cor: Colorido

O Exterminador do Futuro 2




Uma criança destinada a ser líder (Edward Furlong) já nasceu, mas infeliz por viver com pais adotivos, pois foi privado da companhia da mãe (Linda Hamilton), que foi considerada louca quando falou de um exterminador vindo do futuro. Neste contexto, um andróide (Arnold Schwarzenegger) vem do futuro, mais exatamente um modelo T-800 igual ao filme original, para proteger o garoto, mas existe um problema: o mais avançado andróide existente no futuro, um modelo T-1000 (Robert Patrick), que feito de "metal líquido", não pode ter nenhum dano permanente e pode assumir a forma que desejar, também veio para o passado com a missão de matar o menino.

Fonte: http://www.adorocinema.com/filmes/filme-7124/ Pesquisa realizada em 06/03/2012

O objetivo de trabalhar o filme é facilitar ao aluno a compreensão das novas formas de tecnologias existentes na atualidade, principalmente a partir dos anos 70 quando surgiu a Revolução Tecno-científica que é baseada na informática, cibernética, telecomunicações, robótica, biotecnologia dentre outros elementos preponderantes da atual era global.

Professor: Alberto Pelliccione Filho


FICHA DO FILME
Título original: Terminator 2: Judgment Day
Diretor: James Cameron
Elenco: Arnold Schwarzenegger, Linda Hamilton, Edward Furlong, Robert Patrick, Earl Boen, Joe Morton, Leslie Hamilton Gearren
Gênero: Ficção Científica
Duração: 137 min
Ano: 1991
Cor: Colorido

O mundo da alta tecnologia





Após a 2ª Guerra Mundial: a economia começou a passar por profundas transformações. Elas caracterizam a Terceira Revolução Industrial.


 RTC é a integração física entre ciência e produção baseada na alta tecnologia em diversas áreas.

Estudando o passado para compreender o HOJE.

Revolução Industrial: foi a mudança de uma economia agrária, baseada no trabalho manual, para uma economia dominada pela indústria mecanizada. Caracteriza-se por:

  • Uso de novas fontes de energia.
  • Invenção de máquinas que aumentam a produção.
  • Desenvolvimento do transporte e comunicação.
  • Objetivo: usar a tecnologia para produzir produtos com preços acessíveis e em grandes quantidades.


1ª Rev. Industrial (1760-1860)

  • Energia a vapor usada na extração de minério, industrial têxtil e fabricação de uma grande variedade de bens que, antes, eram feitos a mão.
  • Navio a vapor substituiu a escuna e a locomotiva a vapor substituiu vagões puxados a cavalo.
  • Funcionamento do primeiro instrumento universal de comunicação, o telégrafo.



2ª Rev. Industrial (1860-1900)

  • A industrialização em diversos países: França, Alemanha, Itália, Bélgica, Estados Unidos e Japão.
  • Eletricidade e a química foram as grandes inovações = novos tipos de motores.
  • Novos produtos químicos e a substituição do ferro pelo aço.
  • Grandes empresas.
  • Telégrafo sem fio e o rádio.

3ª Rev. Industrial ou Revolução Técno-científica (1970 até hoje)


Abrange diversos países do mundo, não apenas os europeus, ou os EUA e Japão.
Fundamentada na emergência de novas formas de tecnologia em diversas áreas, tais como, a microeletrônica, automatização, transmissão de informações, robótica, cibernética. Modernos computadores e softwares, modernos sistemas de telecomunicações, química fina de alta tecnologia, e a biotecnologia.

  • Informática: produz computadores e softwares.
  • Robótica: produção de robôs para uso industrial, pesquisa e até na área de segurança.
  • Cibernética: é a ciência da comunicação e do controle, seja nos seres vivos, ou seja nas máquinas.
  • Telecomunicações: proporciona as transmissões de rádio, televisão, telefonia fixa e móvel e a Internet.
  • Indústria aeroespacial: fabricação de satélites artificiais e aviões.
  • Biotecnologia: animais e plantas manipulados geneticamente, produção de medicamentos.

4ª Rev. Industrial


O mundo caminha na direção da Quarta Revolução Industrial que está voltada para as ciências da vida, sob a égide da biotecnologia em associação com outras áreas das ciências exatas e ao ramo do conhecimento que atende pelo nome de nanociência ou nanotecnologia.

_________________________________________________________________________


O texto abaixo é uma fonte muito importante que ajuda na compreensão das novas formas de tecnologia inseridas na humanidade no decorrer dos dois últimos séculos.

O texto foi produzido pelo Luis Milanesi estando com algumas adaptações.



O trem

A descoberta do vapor como força propulsora, considerada o inicio da Revolução Industrial, que resultou em máquinas como o trem, iniciou-se na Inglaterra e, depois, nos Estados Unidos nas primeiras décadas do século XIX, a partir de 1804; o primeiro trem com passageiros circulou em 1825, ultrapassando as possibilidades da tração animal, que prevaleceu por milhares de anos.
Desenvolveu-se, assim, toda a comercialização: transportavam-se passageiros, produtos agrícolas, manufaturas e um dos produtos mais significativos foram os impressos, notadamente os jornais.
A malha ferroviária não só acelerou a velocidade das relações econômicas, mas impôs uma nova dinâmica na circulação de bens culturais e a disseminação do conhecimento. Nas cidades interioranas a estacão era a plataforma receptiva dos produtos da cidade grande, incluindo os jornais.
Os poucos leitores eram propagadores de noticias para a maioria analfabeta.
Nas cidades interioranas, esperava-se o trem para ter noticias do mundo. As ferrovias do final do século XIX às primeiras décadas do século XX foram as alavancas que aceleraram a produção e o consumo, impondo uma velocidade muito maior. A possibilidade do transporte de grandes volumes a custos reduzidos em tempos menores criou novas perspectivas no campo econômico, além da disseminação maior e mais rápida das informações impressas, como jornais, revistas e livros.
Portanto, os meios de transporte estavam aptos a incrementar e disseminar as informações.

O rádio

A eletricidade marcou um segundo momento da Revolução Industrial. A sua expressão mais visível foi a luz elétrica. A partir de 1870, inicialmente nos Estados Unidos, pela primeira vez, deixou de ser necessário produzir combustão para se obter claridade. Paralelamente às ferrovias e à eletricidade foi descoberto um meio de comunicação à distância: o telégrafo. Usado com códigos, estava restrito a profissionais que os dominavam. Ainda, dentro de um segundo momento da Revolução Industrial, um outra descoberta provocou mudanças sociais fortes: o rádio. As primeiras comunicações foram experimentadas em 1901.
Além do seu caráter revolucionário e transformador de costumes e valores, o rádio em pouco tempo tornou-se barato, permitindo a milhões de famílias tê-lo em casa para informações e diversão.
Aí dentro deste período histórico, apareceu novo elemento que tornou a distribuição de jornais, livros e revistas mais ágil: o automóvel. O trem nasceu como transporte coletivo e o automóvel foi o resultado do uso da tecnologia para resolver um problema:a locomoção pessoal.

A televisão

A televisão deu imagens aos sons que já eram captados. Passou a funcionar regularmente a partir dos anos 30 do século XX, mas foi a partir da década de 50, que ela suplantou o rádio em audiência.
Em 1950, foi realizada a primeira transmissão comercial no Brasil. O rádio levava a fala e os sons da capital para todas as cidades; a televisão potencializou, pela imagem. Aproximou mundo díspares, estabeleceu uma troca, forneceu modelos urbanos, flexibilizou padrões morais e de comportamento e introduziu novos produtos de consumo por meio da criação do desejo da posse.
O rádio e a televisão permitiram elevar o grau de homogenização cultural pela sua capacidade de eliminar do publico a autonomia para escolher.
Nos países menos desenvolvidos, toda a sofisticação tecnológica impôs-se com o seu conteúdo sobre uma população analfabeta ou semiletrada. Nas sociedades mais cultas, a televisão plasmou-se à sua cultura; nas sociedades de baixo padrão educacional, a sociedade foi plasmada.
A televisão alimenta de informação de tal forma que não há necessidade de outras fontes.
A televisão é hoje a fonte de informação mais utilizada pela sociedade.

Fonte: Milanesi, Luís. BIBLIOTECA. São Paulo: Ateliê, 2009.

PIB (Produto Interno Bruto)

PIB é toda a produção anual de bens e serviços ocorridas dentro do território do país.

PNB é o Produto Nacional Bruto. É igual a produção interna (PIB) mais os recursos vindos do exterior menos os que saem do país.

Portanto: PNB = PIB + renda do exterior - renda que saiu do país.

Países ricos têm PIB e PNB altos.

Países pobre têm PIB e PNB baixos.

Veja no gráfico abaixo a evolução do PIB brasileiro nos últimos anos:


Veja abaixo os países mais ricos do mundo, de acordo com o PIB

1 - Estados Unidos: Ele ainda detém o título de maior economia e o seu lucro com base no PIB é de US $ 15,495.389 trilhões. Seu crescimento médio do PIB é de 3,28 por cento. Assim como a China, os EUA também é orientada para o mercado e se concentra em empresas particulares, cresceram, apesar das questões taxa de desemprego devido a recessão que houve nos últimos anos.

2 - China: Fechou 2011 com USD $ 7,744.133 trilhões com crescimento médio do PIB de 2,15 por cento. É a segunda maior economia do mundo, atras apenas dos Estados Unidos. É focada em comércio internacional, o seu povo são orientadas para o mercado, e o principal contribuinte para o seu crescimento é encontrado na exportação, que o fez, o maior exportador, e segundo maior importador de mercadorias no mundo.

3 - Japão: Chegou ao terceiro lugar levando US $ 6,125.842 trilhões, com 0,52% de crescimento médio do PIB antes de fechar 2011. É conhecida por sua competitividade no livre comércio internacional. Na verdade, ele tem mantido sua classificação na lista dos cinco países mais ricos desde os anos 1960, apesar da recente experiência dos tsunamis que destruíram as vidas de muitas pessoas e a maioria das propriedades e outros ativos.

4 - Alemanha: A Alemanha ganhou um total de USD $ 3,707.790 trilhões, com um crescimento médio de 0,31 por cento e é o país número um quando se trata de o crescimento econômico na Europa. Centra-se na exportação, que compreende da saída de 1 / 3 sobre o crescimento total nacional ou contribuição da economia do país.

5 - França:  Com USD $ 2,888.907 trilhões registrados no fim do ano de 2011, atingindo um crescimento de PIB de 0,30% antes de terminar 2011. É considerado a segunda maior força econômica na Europa por causa de sua moderna concentração industrial diversificada. Apesar da recessão de 2008 para 2009, teve seu retorno em 2010.

6 - Brasil: O nosso Brasil acumulou um PIB de USD $ 2,616.986 trilhões antes de 2012 começar e embora houvesse pouco crescimento em 2011, ele ainda conseguiu chegar ao 0,80% de crescimento do PIB, que vem principalmente de seus setores de serviços, fabricação de produtos de mineração, e agricultura. Na verdade, é a maior economia dos países sul-americanos.

7 - Reino Unido: Com USD $ 2,603.880 trilhões ganho no final do ano de 2011, o Reino Unido tem uma média de crescimento trimestral do PIB de 0,58%, o que o torna um dos gigantes quando se trata de economia estável, apesar da recessão que atingiu os principais países em últimos anos. Na verdade, ele acelerou no 3 º trimestre de 2011, o que vem principalmente nos setores de serviço, enquanto que detém a terceira maior economia da Europa.

8 - Itália: Possui um PIB de USD $ 2,287.704 trilhões e, segundo o Banco Mundial, o Fundo Monetário Internacional, tornou-se a quarta maior economia da Europa, quando se trata de PIB nominal, uma vez que se diversificaram economias industriais e sua infra-estrutura. É um dos oito membros das nações industrializadas do grupo G8.

9 - Rússia: A Russia ganhou o nono lugar com USD $ 2,117.245 trilhões. Um crescimento previsto em 2007, quando foi estabelecidos planos de desenvolvimento econômico que duraria até o ano de 2020.  Assim, o plano é aperfeiçoar-se por causa da média de crescimento anual que atinge 6,7% ao ano em seu produto interno bruto. O alvo inclui desenvolvimentos industriais e outros fatores distribuíveis em setores econômicos.

10 - Índia: Seu rápido crescimento atual do PIB é de USD $ 2.012.760 trilhão conforme previsto para o ano de 2011. De fato, com base nos relatórios, há um crescimento 8,2 por cento ante a 2010. Alguns dos fatores que contribuíram para o seu progresso são os investimentos empresariais, os consumos privado, produtos agrícolas, e seus setores de serviços essenciais.

Fonte destes dados: http://top10mais.org/top-10-paises-mais-ricos-do-mundo-2012-2/ 


Prognóstico para o futuro

O estudo do CEBR também faz projeções para os próximos anos. Em 2020, de acordo com o trabalho, o Brasil continuará em sexto lugar entre as maiores economias, com um PIB de US$ 4,26 trilhões, atrás de Estados Unidos (US$ 21,83 trilhões), China (US$ 17,88 trilhões), Japão (US$ 7,63 trilhões), Rússia (US$ 4,58 trilhões) e Índia (US$ 4,50 trilhões). Na sequência, estarão: Alemanha, França, Reino Unido e Itália. 

Fonte: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica-brasil-economia/33,65,33,3/2011/12/27/internas_economia,284219/brasil-tem-6-maior-pib-do-mundo-mas-ainda-precisa-melhorar-padrao-de-vida.shtml


Países desenvolvidos e países subdesenvolvidos

Muitos países são subdesenvolvidos devido a questões históricas.

Podemos verificar a exploração das riquezas pelas nações européias durante o período colonial entre os séculos XVI e XX, em suas colônias na África, América e Ásia.


As colônias tinham uma submissão com as metrópoles.
Os europeus: intenso domínio sobre os povos e terras conquistadas. A escravidão praticada pelos europeus criou um genocídio dos nativos e dos povos africanos.

As colônias: perda das riquezas naturais = relação desigual entre as metrópoles e suas colônias.

Metrópoles: forneciam produtos industrializados (louças, roupas e ferramentas).

Colônias: forneciam matérias-primas (açucar, madeira, ouro, prata, cobre, diamante)

Essa divisão da produção e das trocas comerciais em escala mundial é chamada de Divisão Internacional do Trabalho (DIT).

Países subdesenvolvidos continuam dependentes das tecnologias e do dinheiro dos países desenvolvidos.

Algumas causas do subdesenvolvimento tem origem interna:

As elites dominantes = posse das terras e controle das minas. Eram conhecidas como oligarquias, que por sua vez tinham o poder político e econômicos com interesses próprios e muitas vezes enriquecimento ilícito.
Essas elites tinham regimes autoritários e anti-democráticos baseados em golpes militares.

Países subdesenvolvidos - muitas vezes possuem instituições democráticas frágeis.

O que é possível para melhorar a situação desses países:

melhoria na saúde, educação, mudanças estruturais no sistema político, uma democracia fortalecida.

sábado, 28 de abril de 2012

Divisão Internacional do Trabalho (DIT)



Para compreender melhor o conceito da DIT devemos voltar ao passado colonial, período que preparou toda uma estrutura na configuração das funções, desde às questões sociais passando pelas econômicas e industriais (mesmo que de forma rudimentar).

Na época da colonização, toda a exploração realizada no período colonial serviu para o enriquecimento dos países europeus, enquanto as colônias perderam suas riquezas naturais. O período colonial estabeleceu uma relação desigual das trocas comerciais entre as metrópoles e suas colônias.

As metrópoles forneciam produtos manufaturados às suas colônias e demais regiões do mundo não sendo necessariamente sua colônia. Os produtos geralmente eram tecidos, ferramentas ou louças, enquanto as colônias forneciam matérias-primas como o ouro, prata, açucar, especiarias e muita madeira.

Essa divisão da produção ou das trocas comerciais em escala planetária é conhecida como Divisão Internacional do Trabalho (DIT). Com a DIT, as metrópoles enriqueceram considerávelmente e as colônias tiveram que organizar suas produções de acordo com os interesses internacionais da época. Esse fator não possibilitou que as colônias desenvolvessem suas economias interna de forma a ter características de um sistema rico e articulado.

Essa situação acima explica, de maneira geral e com raríssimas exceções, porque a grande maioria dos países subdesenvolvidos de hoje foram, no passado, colônias de exploração das metrópoles européias.

Embora a DIT tenha de modificado ao longo dos séculos, os países subdesenvolvidos ainda continuam dependentes dos recursos financeiros e tecnológicos.

Podemos dizer que a DIT representa a especialização produtiva de cada país na economia e no comércio mundial, ou seja, o que cada país produz e comercializa pelo mundo.

A questão do desenvolvimento e subdesenvolvimento são produtos da história de dominação e exploração de alguns países sobre outros povos.

Até meados do século passado a produção industrial estava concentrada nos seguintes países:

  • Estados Unidos
  • Canadá
  • Rússia
  • Inglaterra
  • França
  • Itália
  • Holanda
  • Bélgica

Já os países menos industrializados e de economia primária forneciam matérias-primas agrícolas e minerais às suas metrópoles.

Com o passar dos anos as multinacionais se expandiram pelo mundo e se instalaram em alguns países que abriram suas portas ao capital externo. Esse fato aconteceu com maior frequência a partir da segunda metade do século XX. Configurou-se um novo grupo de países industrializados, dentre os quais podemos destacar:

  • Argentina
  • Brasil
  • México
  • África do Sul
  • Índia

A imagem abaixo mostra o esquema da DIT desde a época do Capitalismo comercial até os dias atuais.



O PIB - Produto Interno Bruto

É um indicador econômico que expressa o valor de toda a riqueza gerada dentro das fronteiras de um país, ou seja, indica o valor de todos os bens e serviços produzidos durante o período de um ano.

Superávit comercial: é quando o valor das exportações ultrapassa o das importações, o país apresenta superávit em sua balança comercial, ou seja, o país tem mais a receber do que ganhar.

Déficit comercial: é quando o valor das importações supera o das exportações, e o país apresenta déficit em sua balança comercial, o país tem mais a pagar do que receber.