domingo, 16 de novembro de 2014

REGIÕES INDUSTRIAIS DO BRASIL

REGIÕES INDUSTRIAIS DO BRASIL: REGIÕES TRADICIONAIS E DESCENTRALIZAÇÃO INDUSTRIAL


As indústrias, ao se instalarem em determinados lugares, consideravam estrategicamente a presença ou proximidade dos seguintes elementos:

  • mercado consumidor
  • disponibilidade de matérias-primas
  • oferta de energia
  • custos com transportes
  • mão-de-obra

Esses elementos acima favoreceu um processo de concentração espacial das atividades na região Sudeste, especialmente em São Paulo.

ÁREAS INDUSTRIAIS TRADICIONAIS

São aquelas caracterizadas por um processo mais antigo de industrialização, assentado no padrão fordista-teylorista.
Esse modelo de produção na indústria pode ser caracterizado por:

  • economia de escala
  • produção estandardizada
  • competição via preços
  • existência de um mercado consumidor de massas
  • combinação entre a utilização de equipamentos automatizados e trabalhadores não qualificados
  • divisão e especialização do trabalho
  • separação entre concepção e a execução das tarefas

DESINDUSTRIALIZAÇÃO

Se caracteriza pelo fechamento e/ou deslocamento das indústrias para outras áreas, atraídas por maiores possibilidades de realização de lucros. Um exemplo conhecido desse processo é a cidade americana de Detroit. A partir da década de 1980, assistiu ao fechamento de inúmeras empresas e ao aumento do desemprego em massa.

DESCONCENTRAÇÃO INDUSTRIAL

Ocorreu no Brasil no final da década de 1980, com a progressiva abertura da economia e profundas transformações nos processos produtivos. Os pressupostos são:

  • a proximidade ou facilidade do escoamento da produção em detrimento da localização dos recursos.
  • A proximidade com centros produtores de ciência.
  • Áreas com legislações trabalhista e ambientais cada vez mais flexíveis;

Essas características acima proporcionam a DESCONCENTRAÇÃO INDUSTRIAL.

RECONCENTRAÇÃO INDUSTRIAL

A partir de meados da década de 1990, o processo de descontração industrial tendeu a diminuir ou mesmo reverter o fluxo a uma reconstrução espacial nas regiões mais ricas e industrializada do Brasil (Sudeste e Sul).
As causas são:

  • melhor oferta de recursos humanos qualificados
  • maior proximidade com os centros de produção e de tecnologia
  • maior e mais eficiente infraestrutura
  • a criação do Mercosul, que reforça o crescimento industrial do Sudeste e Sul.

Isso cria uma nova espacialidade da indústria brasileira dentro de um grande polígono que vai de Belo Horizonte a Porto Alegre.


Nenhum comentário:

Postar um comentário